Gravidez-555x516 (1)

Alimentação na gravidez: confira as vitaminas mais indicadas para as futuras mamães

Ser mãe, para muitas mulheres, é um momento que mistura felicidade com novas descobertas. A alegria também é sinônimo de mudanças. Durante os próximos nove meses o corpo não será o mesmo e o organismo precisará se adaptar à chegada de uma nova vida.

Um dos maiores cuidados que as futuras mamães devem ter é com a alimentação. Dados do Ministério da Saúde mostram que no Brasil cerca de 25% das gestantes apresentam anemia em algum grau. A causa é a deficiência de ferro no organismo, que pode prejudicar o feto. E o tratamento mais indicado é simples: ter bons hábitos alimentares.

A alimentação saudável durante a gestação é essencial, já que ela garante benefícios tanto para a mãe quanto para o filho. Segundo Priscila Gomes, nutricionista do Mundo Verde, a recomendação é que a mudança no estilo de vida aconteça antes mesmo da gestação, pois reduz os riscos de complicações durante a gravidez, além de contribuir para um trabalho de parto mais tranquilo.

 

“Alimentar-se bem também diminui o risco de doenças no feto. Alguns estudos mostram que a saúde do filho é, em grande parte, programada durante a vida intrauterina, estabelecendo alicerces essenciais para o crescimento saudável”, destaca a nutricionista.

 

Sandra Lúcia Fernandes, médica nutróloga do Hospital Meridional e professora de Nutrologia da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), afirma que as mães que ganham muito peso na gravidez (mais do que 15 kg) têm maior risco de complicações na gestação. “Elas podem ter eclâmpsia, diabetes gestacional e até parto prematuro”.

 

Alimentos mais indicados

Gestantes devem priorizar alimentos in natura como frutas, verduras e legumes, ricos em vitaminas e minerais. Além disso, quem espera um bebê precisa consumir mais proteínas, pois elas são fundamentais para a formação da placenta, elasticidade da pele, tecidos uterinos, desenvolvimento e crescimento do bebê.

 

O consumo de cereais integrais como batata, arroz, aveia e pães integrais também são necessários para o aumento de peso materno adequado e crescimento fetal. Gorduras boas são bem-vindas e importantes para o desenvolvimento do sistema nervoso do feto, visão e absorção de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K). Os ácidos graxos essenciais são encontrados no salmão, sardinha, óleos vegetais, oleaginosas, abacate e côco.

É melhor evitar…

Priscila afirma que durante a gravidez, é importante seguir rigorosamente cuidados com a higiene dos alimentos. “Devem ser evitados aqueles que não

passam por um processo térmico eficiente, como carnes, aves, pescados, ovos mal cozidos, leite ou laticínios não pasteurizados, frutas, legumes e verduras não higienizados”, aponta a nutricionista.

O uso de bebidas alcoólicas e estimulantes também deve ser evitado, pois estão associados ao aborto espontâneo, baixo peso ao nascer e recém-nascidos pequenos para idade gestacional.

Os alimentos industrializados e embutidos são ricos em sódio, corantes, aromatizantes e conservantes, portanto, também devem ser evitados. Além disso, a dica é cozinhar com pouco sal. “Não utilize o saleiro de mesa. Como alternativa, prefira ervas aromáticas, como orégano, salsa, coentro, cebolinho, tomilho, manjericão, etc. O elevado consumo de sal pode aumentar o do risco de pré-eclâmpsia e eclâmpsia”, alerta a nutricionista.

Os chás em geral também não são indicados nessa fase e durante o período de amamentação, pois muitas ervas podem causar aborto ou provocar reações alérgicas no bebê.

 

Vitaminas mais indicadas para as gestantes

Durante a gravidez, as necessidades nutricionais aumentam, mas isso não significa comer por dois. Desta forma, algumas vitaminas podem ser suplementadas para garantir a quantidade necessária para a mãe e o bebê. Confira algumas vitaminas sugeridas pela nutricionista:

Ácido fólico

Também conhecido como vitamina B9, o ácido fólico é essencial durante o período gestacional, pois participa do processo de multiplicação celular. O feto precisa de grandes quantidades desta vitamina durante sua formação. A B9 é importante na fase reprodutiva e na formação de anticorpos, por isso o seu consumo é indicado três meses antes da gravidez e no primeiro trimestre, pois diminui os riscos de má formação do tubo neural do bebê, que começa a se formar já no primeiro mês de gestação.

Os alimentos ricos em ácido fólico são: vísceras, leguminosas, vegetais de folha verde-escura (espinafre, brócolis, aspargo, couve, couve-de-bruxelas), levedo de cerveja, gérmen de trigo e beterraba.

 

Ferro

A suplementação de ferro é recomendada durante o pré-natal, pois contribui para o transporte de oxigênio no sangue, diminui o risco de baixo peso ao nascer e a anemia materna. É encontrado em alimentos de origem animal, leguminosas e folhas verdes escuras. Para melhorar a absorção de ferro, é indicado o consumo de alimentos fonte de vitamina C, como as frutas cítricas.

 

lcio e Vitamina D

Estas vitaminas são importantes para manter os ossos e os dentes saudáveis da gestante e do feto. O cálcio também desempenha um importante papel na contração e relaxamento dos músculos e na transmissão nervosa. É encontrado em leites e derivados. De origem vegetal, são ricos em cálcio alimentos como o gergelim, quinua, amaranto, alfarroba, semente de chia e vegetais folhosos verdes escuros, como a couve.

 

Zinco

O zinco é importante para o crescimento normal do feto e placenta, bom funcionamento do sistema imunológico, entre outros. As melhores fontes de zinco são a carne, o peixe, as leguminosas e produtos lácteos.

 

Magnésio

O mineral age contra as contrações uterinas precoces. Seu consumo durante a gestação está associado à diminuição do risco de pré-eclâmpsia, nascimentos prematuros e atraso no crescimento intrauterino. Alimentos ricos em magnésio são as sementes de linhaça e a de gergelim, oleaginosas, folhas verdes escuras e brócolis.

 

Ômega 3

 

Vários estudos têm demonstrado a importância da suplementação de ácidos graxos durante o período gestacional. O Ômega 3 traz benefícios para o sistema imunológico, para a função visual e cognitiva da criança. Pode ser encontrado na forma de cápsulas (óleos de peixe, chia e linhaça) e também nos alimentos como os peixes de água marinhas e profundas (salmão selvagem, sardinha, arenque), além de sementes como chia e linhaça.

 

A suplementação de Ômega 3 diminui problemas circulatórios, risco de pré-eclâmpsia, melhora funcionamento cardiovascular e age como um anti-inflamatório para a futura mamãe. Também contribui para o desenvolvimento cerebral e da retina do bebê.

 

Colágeno

O colágeno é uma proteína estrutural, que contribui na sustentação da pele, elasticidade, firmeza e auxilia a proteger as articulações,trazendo benefícios tanto para a mãe quanto para o bebê.

 

Cranberry

A incidência de infecção no trato urinário em gestantes é maior devido à mudanças anatômicas e fisiológicas, por isso é recomendado o uso de Cranberry nesse período. A fruta é rica em proantocianidinas, que possuem ação antioxidante e anti-séptico, o que diminui o crescimento e aderência das bactérias no trato urinário.

No entanto, vale lembrar que estas e outras vitaminas devem ser indicadas por um profissional de saúde, pois é essencial saber se a gestante possui algum tipo de contra-indicação e se elas são, de fato, necessárias durante a gravidez.

“Pela Jornalista Fernanda Lima”

PROCURAR POR PALAVRA-CHAVE

shutterstock_118136980-(1)

CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DA BATATA DOCE

A batata-doce é mais maravilhosa do que você imagina.

SAIBA MAIS

REUNIÃO DA GALERA FIT = FESTIVAL DA TAPIOCA!

Bem mais saudável que qualquer churrasco.

SAIBA MAIS
reunião-fit-tapioca

PLANTAS QUE MELHORAM A QUALIDADE DO AR

Conheça as plantas capazes de filtrar e purificar o ar da casa.

SAIBA MAIS
shutterstock_325399130

GUIA PARA APROVEITAR SHOWS E FESTIVAIS

Tudo o que você precisa saber para aproveitar muito o dia. Confira!

SAIBA MAIS
shutterstock_292297256
shutterstock_38435221-(1)

VAMOS TREINAR EM UM LUGAR MAIS VERDE?

A natureza pode te ajudar muito na hora de treinar.

SAIBA MAIS

DÁ PRA VIVER SEM CARRO?

SIM! Veja o lado positivo de viver sem motor.

SAIBA MAIS
shutterstock_277426841-(1)

INSCREVA-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER